24 mar 15

Rio: Mazu Gastrô


Fotos: Natalia Valle

Resoluções de ano novo são feitas para serem seguidas, eu sempre acreditei. Por isso nunca permiti que o exercício físico fosse uma delas. Sempre tive enorme dificuldade em ver prazer na dor do exercício e em permanecer numa academia por tempo suficiente para ver mudanças efetivas na minha disposição e corpo. Mas esse ano isso mudou, tomei coragem e coloquei como a grande meta de 2015, ao menos 2 vezes por semana.

Para fazer esses desprazer um pouco mais prazeroso, procuro caminhar na praia onde tenho a brisa, a companhia de outros “atletas” e o som das ondas. Foi em meio a essa obrigação, que encontrei esse lugar agradabilíssimo. Em um simples quiosque da praia da Barra, há uma porção de maravilhas gastronômicas. No Mazu Gastrô, são os próprios donos que comandam a cozinha e o serviço, garantindo a alegria de algumas tardes.


Fotos: Flavia Peroba

O cardápio é enxuto mas com o essencial para um lanche ou jantar leve e saudável. Os pratos são inspirados na culinária asiática, grega, mediterrânea, havaiana, tailandesa, entre outras. Uma misturéba que agrada demais. Provamos o suco de laranja com maçã verde, a combinação é incrível. Para comer, uma espécie de temaki aberto com salmão marinado no shoyu e cebola roxa. Recomendo também os sanduíches, pontos extras principalmente para o de frango ao curry e o de lombinho com abacaxi e queijo.

Se você estiver passeando pela praia da barra, não hesite em parar nesse quiosque delicioso!

Mazu Gastrô
Av. Sernambetiba, posto 7
Barra da Tijuca – Rio de Janeiro
facebook.com/mazu.gastro





Fotos: JG

Depois de visitar a Europa (se você não acompanhou as dicas, clica aqui), em novembro voltei a uma das minhas cidades favoritas (e de grande parte da população mundial também): Nova York. Além das tradicionais comprinhas (dessa vez, muitas delas para a casa, acho que dá para fazer um blog só dessa experiência), passeios no Central Park, e muitos vinhos, queríamos um restaurante para comemorar uma data muito especial. Após algumas pesquisas, resolvemos ir ao badalado The Nomad, que fica no lobby do hotel de mesmo nome.

O restaurante é do chef Daniel Hum, suíço, e dono de algumas estrelas Michelin pelo restaurante Eleven Madison Park, também na cidade. O The Nomad fica em um lindo edifício da virada do século que foi totalmente reformado e redecorado com mobília clássica francesa, mas utilizando iluminação e objetos bem modernos. Você encontrará 3 ambientes: o salão principal com um teto piramidal de vidro, um bar lindo e que estava bem cheio neste dia, e o ambiente “biblioteca” com mesas no meio de diversas estantes de livro.

Para começar a noite, pedimos a pasta de salmão com ervas e manteiga que é servida com pão artesanal, e o vinho escolhido foi um cabernet sauvignon produzido na cidade. De pratos principais, escolhemos a Lagosta na manteiga com alho negro, abóbora e molho de cranberry, a combinação da lagosta com o molho de fruta estava deliciosa.

Por se tratar de um dia especial, investimos em um prato ainda mais especial: 4 gramas de trufa branca que vem acompanhado de risoto de parmesão. A experiência da trufa é realmente incrível. O maitre traz uma caixa quase de jóia com a trufa para que você possa sentir o aroma. Este prato é exatamente isso: um aroma e um sabor indescritível, realmente uma iguaria perfeita.

Apesar do atendimento impecável, lindo ambiente e pratos ótimos, os preços do The Nomad são acessíveis para Nova York. Por exemplo, o prato com 4g de trufa branca e risoto custa 32 doláres. Por isso este lugar está super indicado para quem quer ter uma experiência que no Brasil custaria muitas vezes mais.

The Nomad
1170 Broadway & 28th street
www.thenomadhotel.com





Fotos: Bruna Rodrigues

Uma coisa muito boa de escrever no Gulab, é que acabo criando e testando novas receitas e deixando de lado a preguiça de cozinhar. Minha família e meus amigos também agradecem, afinal, antes de colocar a receita no blog, faço uma “pesquisa de opinião” para conferir. Sabe aquela sobremesa de aceitação geral? Então, é o caso do bolo de beijinho. Ele tem uma textura molhada e é fácil fácil de fazer. Todo mundo adorou o bolo, espero que vocês também façam a alegria dos amigos com essa sobremesa. Vocês podem servir com sorvete ou Nutella (meu acompanhamento preferido!).


Bolo de beijinho



    Ingredientes

  • 2 pacotes de coco ralado desidratado
  • 1 creme de leite
  • 200ml de leite de coco
  • ½ xícara de açúcar
  • 1 colher de sopa de farinha de trigo
  • 1 colher de sopa de manteiga
  • 2 latas de leite condensado
  • 4 ovos


Modo de preparo
Bata todos os ingredientes em uma batedeira e coloque em uma travessa de vidro grande.
Deixe no forno a 180° durante cerca de 1 hora.
Espere esfriar um pouco e corte em pedaços para servir.

Rende 15 pedaços.





Fotos: Natalia Valle

Semana passada recebemos o último lançamento da Edições Tapioca e gostamos tanto que viemos mostrar os detalhes para vocês. O livro é do consagrado confeiteiro Buddy Valastro, mais conhecido como Cake Boss. Festas em família com Cake Boss apresenta mais de 100 receitas para as festas do ano todo, e não é só receita de doce não, viu? Ele vem dividido por temas: desde o ano novo até a páscoa e dia dos namorados, passando por dia das crianças, chá da tarde, entre outros, até o natal. Gostei porque as opções são variadas e ele mostra o cardápio completo para cada ocasião, da entrada à sobremesa. Você nem precisa se preocupar muito com a harmonização.

Entre as receitas que me chamaram atenção estão o risoto de salmão defumado, bolinhas de chocolate com coco sem farinha e o filé de costela com manteiga temperada com raiz forte. Só de escrever já fico aqui na vontade! As fotos são de babar, como todo livro de receita que se preze. Fora que alguns pratos são super simples de fazer, para a minha surpresa e alegria. Já até sei por qual vou começar, em breve conto como ficou aqui no blog.

Valastro é famoso pelos bolos decorados disponíveis nas filiais da Carlo’s Bakery. No livro eles não ficaram de fora, apesar deste não ser o foco da publicação. Há algumas opções como o bolo de cesta de páscoa, bolo de aniversário com camiseta de time e o bolo presente de natal (o mais encantador deles na minha opinião).

Festas em família com Cake Boss
Formato 19 x 25 cm – 336 páginas
Acabamento Capa Dura
Edições Tapioca
Preço R$ 94,90




13 mar 15


Fotos: Bruna Rodrigues

Tinha prometido que em 2015 eu iria me alimentar melhor e, de quebra, investir em receitas lights para o Gulab. Mas como você faz quando sua amiga comemora o aniversário em uma hamburgueria, gente? Fala a verdade, você se joga, né? Eu não resisti e me joguei, afinal era dia de aniversário (não meu, mas de uma grande amiga, o que merece a mesma comemoração). E também pensei em vocês leitores do blog, claro. Tinha que visitar o badalado Hell’s Burguer para contar! Ele fica em Botafogo, de cara para o metrô e tem feito sucesso por ali.

Nesse espírito de meter o pé na jaca, provei o fifty-fifty, uma opção de 200g de hambúrguer de filé de costela e bacon misturados na mesma moagem, com queijo cheddar no pão com gergelim. Para acompanhar, batatas fritas cortadas em fatias largas com bastante molho barbecue picante. Para beber pedi uma água, né? Não, pedi uma Heineken porque quem tá na chuva…sabe como é.

Pontos altos do lugar? O hambúrguer é gostoso, a batata frita é sequinha e sentar nas mesas na calçada é realmente relaxante. Além disso, você pede e paga no próprio caixa, o que super facilita no caso de um grupo grande. Por esse motivo, a casa não cobra os 10% do serviço. Quando seu pedido fica pronto, eles chamam seu nome em alto e bom som para você buscar, o que também colabora com o clima descontraído do lugar.

Para mim, o único porém é que o cardápio é pouco variado. São apenas três opções de hambúrguer e a batata frita. O restante da carta é de bebidas e dois tipos de sobremesa. Eu estava na vibe “vou aproveitar que tenho uma desculpa e comer sem pena”, então senti falta de mais itens, mas acho que o cardápio bem enxuto faz parte da proposta do lugar mesmo. O importante é que o que está na carta é bem feito. Recomendamos!

Hell’s Burguer
Rua Muniz Barreto, 805
Botafogo – Rio de Janeiro, RJ
www.hellsburguer82.com.br





Fotos: Flavia Peroba

O verão está quase no fim e em breve o calor ficará um pouco mais ameno. Não sou do grupo que espera ansiosamente o final da estação, mas com o fim do calor insuportável e a chegada da brisa de outono, nada melhor que um piquenique com muitas delícias, excelente companhia, um lugar na sombra e bebidas bem geladas. Ando com vontade de colocar uma salada, um suco de frutas e uma toalha colorida na mala do carro e ir ler um livro debaixo de uma árvore. Se você tem desses desejos, não deixe eles irem embora. Minha sugestão é preparar algo rápido e aproveitar esses dias. Por isso, hoje indico uma excelente receita para piquenique: salada de batata e pastinha de manjericão (dois em um).


Pastinha de manjericão



    Ingredientes

  • 1 molho de manjericão
    (não precisa catar as folhas individualmente,
    basta tirar os talos mais grossos)
  • 1 xícara de azeite extra virgem
  • 4 dentes de alho
  • 30g de parmesão ralado
  • 150g de maionese


Modo de preparo
Coloque o manjericão, alho e parmesão no liquidificador e aperte a função pulsar.
Quando estiverem moídos, aperte o botão ligar e jogue o azeite aos poucos.
Quando estiver homogêneo, tire do liquidificador e junte com a maionese.

Coloque em um pote com boa vedação e deixe na geladeira até a hora de sair de casa,
mantendo sempre em local fresco. Pode ser utilizado acompanhando talos de aipo e torradinhas.


Salada de batatas com pasta de manjericão



    Ingredientes

  • 1kg de batatinhas cozidas e cortadas ao meio
  • 2 filés de peito de frango
  • 1L de caldo de galinha
  • 1 ramo de alecrim
  • 100g passas branca sem semente



Modo de preparo
Cozinhe o frango no caldo com o ramo de alecrim.
Com ele cozido, coloque na geladeira para esfriar, cortando em cubos depois.

Junte o frango em cubos, batatas cortadas ao meio,
as passas e pastinha de manjericão (só adicione a maionese com os ingredientes já gelados).





Fotos: Natalia Valle

Encerrando as dicas da nossa última viagem à Europa, fizemos uma seleção de spirits que vocês não podem deixar de provar. Ainda não falamos deles por aqui, o termo é usado lá fora para as bebidas destiladas de grãos, ervas ou frutas. Geralmente são servidas em um copo de shot ou pequeno cálice, e contam com uma considerável dosagem alcóolica. Em geral, são consumidas como aperitivos ou digestivos, mas também não passam longe dos pub crawls e das nights.

Nas viagens que fizemos era inevitável encontrar as já famosas vodkas e tequilas, shots populares mundo afora. Bailey’s, Jägermeister, Amarulla, Cointreau, Absinto, Jack Daniels, entre outros, são fáceis de se encontrar até mesmo aqui no Brasil. Dessa vez, tivemos um gostinho de parte do leste europeu. Lá, eles apreciam e se orgulham bastante de seus spirits. Alguns deles só é possível encontrar por lá mesmo, então não deixem de provar caso visitem estes lindos países ou caso se deparem com essas bebidas por aqui ou em qualquer canto do mundo:

Pálinka
Aja igual um húngaro, peça pálinka, dizia um cartaz no Szimpla Kert, um dos famosos ruin pubs de Budapeste. E é assim mesmo. O povo da Hungria tem todo um carinho por sua “cachacinha húngara” a ponto de explicar para você os mais de 80 tipos existentes, sendo cerca de 50 tipos oferecidos em qualquer night de lá. Esse destilado de frutas vem em diversos sabores. Os mais comuns são os de ameixa, abricó, maçã, pêra, morango, uva e cereja.

Os locais alegam que a gradação alcóolica chega aos 70%, mas é só para impressionar os de fora. Na prática, a pálinka tem em geral de 40 a 50% de álcool, como qualquer tequila, vodka ou whisky. Com uma coloração que varia do transparente ao amarelado dependendo da fruta utilizada, a pálinka anima e esquenta qualquer pré night em Budapeste.

Becherovka
O nome dessa maravilha você pronuncia “bequeróvka”. Originária de Karlov Vary, uma linda estância de águas termais na República Tcheca, essa cidade é tão bonita que já serviu de set para filmes como “As Férias da Minha Vida” e “Casino Royale”. A Becherovka foi criada como uma espécie de remédio, mas alguém depois de curado provavelmente quis seguir com o tratamento!

mais de 30 ervas em sua composição (a fórmula é super secreta, gente), o aroma e o sabor desse spirit remete principalmente a anis, canela e cravo. Mas vale demais a degustação para tentar saber que outras ervas esse licor doce contém.

Borovicka
Complexa e exótica como só a Eslováquia poderia ser. Trata-se de um destilado de zimbro, a mesma sementinha usada no Gim inglês, no Jenever flamengo e no Steinhäger alemão. Servida gelada e pura em uma taça pequena, essa bebida é um excelente e único digestivo, infelizmente só encontrada e degustada na Eslováquia mesmo.

Demänovka
Essa é outra delícia da Bratislava. Trata-se de uma espécie de Becherovka eslovaca mas com aromas mais complexos como mel e papoula na nossa opinião. Como a Becherovka, a Demänovka tem a coloração coloração verde clara passando pelo amarelo fosco, e infelizmente é difícil de se encontrar fora da Eslováquia. Portanto, se tiver oportunidade, não deixe de experimentar.